A emissora de stablecoins Tether não forneceu uma resposta definitiva sobre se deixaria ou não de oferecer suporte à rede Tron depois que a sua rival, Circle, deixou de emitir sua stablecoin na rede de Justin Sun na terça-feira, 20.

“Os tokens Tether são emitidos em várias blockchains, que são simplesmente camadas de transporte para esses tokens”, disse a Tether em uma declaração ao Cointelegraph quando solicitado a comentar a decisão da Circle e se a empresa líder do setor de stablecoins estava considerando tomar uma atitude semelhante.

“A Tether mantém a capacidade de congelar transações em cada camada de transporte diretamente suportada para cumprir suas obrigações de conformidade. No entanto, a Tether monitora ativamente a segurança de cada uma das camadas de transporte suportadas para garantir os mais altos padrões para a nossa comunidade de usuários”, disse a empresa.

O Tether (USDT) é a maior stablecoin, com uma capitalização de mercado de US$ 97,7 bilhões, e o USD Coin (USDC) da Circle está be, atrás, com US$ 28 bilhões, de acordo com dados da CoinGecko.

A rede da Tron abriga mais de 51,8 bilhões de USDT – mais da metade dos quase 101 bilhões de tokens USDT emitidos em diferentes blockchains, de acordo com o relatório de transparência da Tether datado de 21 de fevereiro.

Um adicional de quase US$ 76,2 milhões foi reservado para fornecer liquidez no curto prazo para o token na rede da Tron.

Captura de tela do relatório de transparência da Tether editada para mostrar apenas as três principais blockchains do USDT e seu total de ativos. Fonte: Tether

Os comentários da Tether foram uma resposta a um anúncio da Circle divulgado em 20 de fevereiro, no qual a empresa revelou que estava encerrando imediatamente a emissão de USDC na Tron e que gradualmente eliminaria o suporte à rede. A Circle declarou que a decisão se alinhava aos “esforços da empresa para garantir que o USDC permaneça confiável, transparente e seguro.”

No mês passado, um relatório das Nações Unidas afirmou que “o USDT na blockchain da Tron se tornou a escolha preferida” para perpretação de fraudes cibernéticas e lavagem de dinheiro no Sudeste Asiático devido à “facilidade, ao anonimato e às baixas taxas de transação.”

A Tether rebateu a reportagem, dizendo que a ONU ignorou a rastreabilidade do USDT e a colaboração da empresa com as agências de aplicação da lei.

Ela destacou que congelou mais de US$ 300 milhões em USDT usados em crimes “nos últimos meses”, incluindo US$ 225 milhões congelados em novembro de 2023 como parte de uma investigação dos Estados Unidos sobre um cartel de tráfico humano baseado no sudeste asiático.

O grupo de vigilância ética Campanha pela Responsabilidade escreveu uma carta para o Congresso dos Estados Unidos em novembro afirmando que a Tron “foi citada em várias ações internacionais de aplicação da lei envolvendo bilhões de dólares em transações efetuadas por supostos grupos do crime organizado e entidades sancionadas.”

A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) abriu um processo contra a Fundação Tron e o seu fundador, o bilionário Justin Sun, em março de 2023, alegando que eles ofereceram valores mobiliários não registrados e realizaram negociações para fins de manipulação do mercado. Sun nega todas as acusações.

LEIA MAIS