A popularidade das stablecoins denominadas em dólares dos Estados Unidos no setor de finanças descentralizadas (DeFi) pode estar ajudando a manutenção da dominância do dólar como moeda de reserva global, afirmou o diretor do Banco Central dos EUA (Fed), Christopher Waller.

“Cerca de 99% da capitalização de mercado das stablecoins está vinculada ao dólar norte-americano”, disse Waller em uma conferência com foco em bancos centrais em 15 de fevereiro.

“As pessoas costumam conjecturar que criptomoedas como o Bitcoin podem substituir o dólar dos EUA como moeda de reserva mundial”, acrescentou Waller. Ele observou, no entanto, que a maioria das negociações de DeFi usa stablecoins atreladas ao dólar.

“Os criptoativos são de fato negociados em dólares americanos. Portanto, é provável que qualquer expansão das negociações no mundo de DeFi simplesmente reforce o papel dominante do dólar.”

Juntas, as duas maiores stablecoins por capitalização de mercado – Tether (USDT) e USD Coin (USDC) – representam 90% da capitalização total de mercado de US$ 139,5 bilhões das stablecoins, segundo dados da CoinGecko.

As duas stablecoins desempenham um papel vital no setor de DeFi, oferecendo aos traders um ativo líquido e com preços estáveis para uso em atividades on-chain sem exposição a criptomoedas mais voláteis.

Waller observou que o “rápido crescimento” das criptomoedas “poderia reduzir a dependência do dólar americano” e citou-o como um possível desafio ao status internacional da moeda, mas também afirmou que não houve “nenhuma erosão notável na dominância do dólar.”

Waller falando na conferência Clima, Moeda e Banco Central realizada em Nassau, Bahamas. Fonte: Facebook

“Não espero que o dólar americano perca seu status de moeda de reserva mundial tão cedo”, disse ele. “Os acontecimentos recentes que alguns advertiram que poderiam ameaçar esse status o fortaleceram, pelo menos até agora.”

Os congressistas dos EUA estão próximos de aprovar um projeto de lei sobre stablecoins após mais de 20 meses tentando chegar a um acordo com o presidente do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara, Patrick McHenry. A deputada Maxine Waters disse ao Politico em 7 de fevereiro que “estamos trabalhando com stablecoins; estamos chegando muito perto.”

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse ao Congresso em junho passado que o Fed vê as stablecoins “como uma forma monetária” e gostaria de desempenhar um “papel federal robusto” na supervisão delas no futuro.

Meses depois, em setembro de 2023, as unidades do Fed de Boston e Nova York afirmaram que as stablecoins poderiam injetar instabilidade no sistema financeiro dos EUA.

LEIA MAIS