A principal criptomoeda do mercado, o Bitcoin (BTC), está cotada na manhã desta segunda-feira, 19/02/204, em R$ 258.951,69. O marketcap de todas as criptomoedas do mercado passou novamente a marca de US$ 2 trilhões, impulsionado pela alta nas altcoins. Os touros do BTC, por outro lado, buscam manter US$ 52 mil mirando nova alta na semana.

A construção ativa de posições de opções de compra com strikes de US$ 60 mil a US$ 80 mil, bem como a forte demanda por ETFs, poderia levar o Bitcoin a um máximo histórico já em março, conforme a QCP Capital.

De acordo com a empresa de análise IntoTheBlock, há uma previsão de 85% de chance de que o Bitcoin (BTC) alcance um novo recorde histórico nos próximos seis meses. Lucas Outumuro, chefe de pesquisa da IntoTheBlock, fundamenta essa previsão em cinco fatores que podem impulsionar o principal ativo criptográfico por valor de mercado nos próximos meses.

O primeiro fator é o altamente aguardado halving do Bitcoin, programado para abril, que reduzirá pela metade as recompensas dos mineradores de BTC. Outumuro afirma que os mineradores estão mais preparados do que nunca para essa redução e prevê que o recorde histórico do Bitcoin seja alcançado apenas um mês após o halving.

Outro catalisador é a expectativa de que novos fluxos de fundos negociados em bolsa (ETFs) de Bitcoin recentemente aprovados impulsionem a demanda pela criptomoeda. Outumuro destaca que os ETFs de BTC já acumularam cerca de US$ 4 bilhões em novas entradas apenas um mês após seu lançamento, o que pode contribuir para uma dinâmica potencialmente explosiva nos preços.

Além disso, a antecipação de cortes nas taxas de juros pelo Federal Reserve também é considerada um fator favorável. Outumuro observa que os traders estão antecipando essa flexibilização da política monetária do Fed, o que pode beneficiar tanto os preços do Bitcoin quanto das ações.

As próximas eleições presidenciais nos EUA também são mencionadas como um possível catalisador, já que o Fed pode adotar medidas para impulsionar a economia antes do evento, aumentando as chances de reeleição do presidente atual.

Por último, espera-se que empresas de todo o mundo acumulem BTC nos próximos meses, com os ETFs facilitando o acesso ao Bitcoin para Wall Street. Isso pode resultar em mais fundos de hedge e empresas adotando o Bitcoin como parte de seus tesouros, expandindo ainda mais sua legitimidade e adoção.

Portanto, o preço do Bitcoin em 19 de fevereiro de 2024 é de R$ 258.951,69. Neste valor, R$ 1.000 compram 0,0039 BTC e R$ 1 compram 0,0000039 BTC.

As criptomoedas com maior alta no dia 19 de fevereiro de 2024, são: Worldcoin (WLD), The Graph (GRT) e Akash Network (AKT) com altas de 38%, 23% e 13% respectivamente.

O que é Bitcoin?

O Bitcoin (BTC) é uma moeda digital, que é usada e distribuída eletronicamente. O Bitcoin é uma rede descentralizada peer-to-peer. Nenhuma pessoa ou instituição o controla.

O Bitcoin não pode ser impresso e sua quantidade é muito limitada – somente 21 milhões de Bitcoins podem ser criados. O Bitcoin foi apresentado pela primeira vez como um software de código aberto por um programador ou um grupo de programadores anônimos sob o codinome Satoshi Nakamoto, em 2009.

Houve muitos rumores sobre a identidade real do criador do BTC, entretanto, todas as pessoas mencionadas nesses rumores negaram publicamente ser Nakamoto.

O próprio Nakamoto afirmou ser um homem de 37 anos que vive no Japão. No entanto, por causa de seu inglês perfeito e seu software não ter sido desenvolvido em japonês, há dúvidas sobre essas informações. Por volta da metade de 2010, Nakamoto foi fazer outras coisas e deixou o Bitcoin nas mãos de alguns membros proeminentes da comunidade BTC.

Para muitas pessoas, a principal vantagem do Bitcoin é sua independência de governos mundiais, bancos e empresas. Nenhuma autoridade pode interferir nas transações do BTC, importar taxas de transação ou tirar dinheiro das pessoas. Além disso, o movimento Bitcoin é extremamente transparente – cada transação única é armazenada em um grande ledger (livro-razão) público e distribuído, chamado Blockchain.

Essencialmente, como o Bitcoin não é controlado como uma organização, ele dá aos usuários controle total sobre suas finanças. A rede Bitcoin compartilha de um ledger público chamado “corrente de blocos” (block – bloco, chain – corrente).

Se alguém tentar mudar apenas uma letra ou número em um bloco de transações, também afetará todos os blocos que virão a seguir. Devido ao fato de ser um livro público, um erro ou uma tentativa de fraude podem ser facilmente detectados e corrigidos por qualquer pessoa.

A carteira do usuário pode verificar a validade de cada transação. A assinatura de cada transação é protegida por assinaturas digitais correspondentes aos endereços de envio.

Devido ao processo de verificação e, dependendo da plataforma de negociação, pode levar alguns minutos para que uma transação BTC seja concluída. O protocolo Bitcoin foi projetado para que cada bloco leve cerca de 10 minutos para ser minerado.

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletidas nas posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar decisão.