A principal criptomoeda do mercado, o Bitcoin (BTC), está cotada na manhã desta quinta-feira, 14/03/204, em R$ 363.722,11. Os touros estão novamente no comando buscando elevar o preço do BTC acima de US$ 75 mil e, para isso, nas últimas 24h estão mantendo o Bitcoin em US$ 73 mil.

Apesar do sentimento de alta, o analista Fernando Pereira, gerente de conteúdo da Bitget, aponta que uma correção está próxima.

“A atual configuração técnica do Bitcoin indica a formação de uma cunha ascendente, tradicionalmente interpretada como um sinal de baixa. Essa formação é acompanhada por uma notável divergência, aumentando a probabilidade de um rompimento descendente no curto prazo. A antecipação de tal movimento sugere uma iminente correção no valor do Bitcoin, potencialmente se desdobrando ainda esta semana”, disse.

Bitcoin deve cair em breve

Na mesma linha do analista da Bitget, o especialista conhecido como @thescalpingpro destacou que em todos os mercados em alta os preços geralmente sofrem vários retrocessos de curto prazo antes de atingir seu pico.

“Atualmente, o preço subiu +378% em relação ao valor mais baixo, de US$ 15.500. Já testemunhamos 4 retrocessos de cerca de 20-22%, e mais alguns retrocessos são prováveis, à medida que o preço continua a subir em direção ao seu pico. Não se abale, eles são oportunidades para comprar”, disse.

Oportunidade de compra de Bitcoin na próxima queda

Beto Fernandes, analista da Foxbit, afirmou que depois da breve correção de preços, a força compradora dos ETFs de Bitcoin mostrou que está dominando o desempenho da criptomoeda. Inclusive, registrando um novo recorde de US$ 1 bilhão entrando nos nove fundos negociados em bolsa em apenas um dia.

Segundo ele, essa retomada mostra que a queda de ontem foi puramente especulativa e como o mercado de derivativos está bem alavancado. Não à toa, mais de US$ 250 milhões em contratos futuros comprados foram liquidados durante a correção.

“A recuperação rápida também mostrou o apetite dos investidores de varejo e a distribuição de tokens. Enquanto 105 wallets recuaram para saldos abaixo de 1 mil BTCs, carteiras com até 0,1 BTC dispararam em mais de 277 mil. Isso mostra a confiança do mercado com a atual região dos US$ 70 mil”, destacou.

Ainda segundo Fernandes, a falta de eventos macroeconômicos relevantes no mundo nesta semana também não trouxe grandes novidades ao mercado de criptomoedas.

“O que mudou mesmo foi o índice dólar (DXY) que apresentou queda, depois de três sessões seguidas de valorização. Este é um bom sinal de que os investidores não estão tão avessos ao risco”, afirma.

Portanto, o preço do Bitcoin em 14 de março de 2024 é de R$ 363.722,11. Neste valor, R$ 1.000 compram 0,0027 BTC e R$ 1 compram 0,0000027 BTC.

As criptomoedas com maior alta no dia 14 de março de 2024, são: dogwifhat (WIF), Bonk (BONK) e Pepe (PEPE), com altas de 46%, 21% e 15% respectivamente.

Já as criptomoedas que estão registrando as maiores baixas no dia 14 de março de 2024, são: Ribbon Finance (RBN), Bittensor (TAO) e Apecoin (APE) com quedas de -12%, -8% e -7% respectivamente.

O que é Bitcoin?

O Bitcoin (BTC) é uma moeda digital, que é usada e distribuída eletronicamente. O Bitcoin é uma rede descentralizada peer-to-peer. Nenhuma pessoa ou instituição o controla.

O Bitcoin não pode ser impresso e sua quantidade é muito limitada – somente 21 milhões de Bitcoins podem ser criados. O Bitcoin foi apresentado pela primeira vez como um software de código aberto por um programador ou um grupo de programadores anônimos sob o codinome Satoshi Nakamoto, em 2009.

Houve muitos rumores sobre a identidade real do criador do BTC, entretanto, todas as pessoas mencionadas nesses rumores negaram publicamente ser Nakamoto.

O próprio Nakamoto afirmou ser um homem de 37 anos que vive no Japão. No entanto, por causa de seu inglês perfeito e seu software não ter sido desenvolvido em japonês, há dúvidas sobre essas informações. Por volta da metade de 2010, Nakamoto foi fazer outras coisas e deixou o Bitcoin nas mãos de alguns membros proeminentes da comunidade BTC.

Para muitas pessoas, a principal vantagem do Bitcoin é sua independência de governos mundiais, bancos e empresas. Nenhuma autoridade pode interferir nas transações do BTC, importar taxas de transação ou tirar dinheiro das pessoas. Além disso, o movimento Bitcoin é extremamente transparente – cada transação única é armazenada em um grande ledger (livro-razão) público e distribuído, chamado Blockchain.

Essencialmente, como o Bitcoin não é controlado como uma organização, ele dá aos usuários controle total sobre suas finanças. A rede Bitcoin compartilha de um ledger público chamado “corrente de blocos” (block – bloco, chain – corrente).

Se alguém tentar mudar apenas uma letra ou número em um bloco de transações, também afetará todos os blocos que virão a seguir. Devido ao fato de ser um livro público, um erro ou uma tentativa de fraude podem ser facilmente detectados e corrigidos por qualquer pessoa.

A carteira do usuário pode verificar a validade de cada transação. A assinatura de cada transação é protegida por assinaturas digitais correspondentes aos endereços de envio.

Devido ao processo de verificação e, dependendo da plataforma de negociação, pode levar alguns minutos para que uma transação BTC seja concluída. O protocolo Bitcoin foi projetado para que cada bloco leve cerca de 10 minutos para ser minerado.

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletidas nas posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar decisão.