A principal criptomoeda do mercado, o Bitcoin (BTC), está cotada na manhã desta quinta-feira, 07/03/204, em R$ 331.631,26. Ontem foi um dia de alta volatilidade, o BTC rompeu com sua máxima histórica anterior em US$ 69 mil e logo após, despencou quase 10% voltando para US$ 62 mil. No entanto, os touros voltaram para o comando em recuperaram mais 5% no preço, devolvendo a criptomoeda para US$ 67 mil.

“Depois de bater o preço recorde do ciclo passado, o bitcoin tem agora dias de lateralidade. Hoje o dia começa com o ativo subindo 1% e sendo negociado a 66 mil dólares. O ether recua 0,24% e é negociado a 3800 dólares. Nos dados on-chain tivemos a redução de 18 mil bitcoins por parte dos investidores de longo prazo (LTH). No Ethereum tivemos uma redução de 5 mil ETH em staking”, destacou André Franco, especialista do MB Research do Mercado Bitcoin.

Já Fernando Pereira, gerente de conteúdo da Bitget, aponta que após atingir 55%, a dominância do Bitcoin começou a recuar, e deve continuar assim nas próximas semanas até que chegue a 50%.

“Isso significa mais dinheiro entrando nas altcoins nesse momento do que no Bitcoin. Mais dias como ontem devem ser comuns no mercado”, afirmou.

Altcoins em alta

Mikkel Morch, fundador do fundo de investimento em ativos digitais ARK36, comentou que o recente pico do Bitcoin de US$ 69.000 não apenas estabeleceu uma nova referência para a riqueza digital, mas também acendeu um debate sobre o futuro das moedas digitais. Este marco reflete uma confiança crescente no Bitcoin como um ativo resiliente, alimentando especulações sobre o seu potencial para uma recessão repentina, uma narrativa comum no volátil mercado cripto.

“No entanto, a verdadeira história vai além do desempenho estelar do Bitcoin e do Ethereum. O impulso positivo desses gigantes está lançando luz sobre as altcoins, sugerindo um potencial efeito cascata em todo o ecossistema das criptomoedas”, disse.

Segundo ele, esta dinâmica sugere uma tendência mais ampla: à medida que o Bitcoin e o Ethereum continuam a captar o interesse dos investidores, as altcoins estão à beira de capitalizar este aumento, experimentando potencialmente os seus próprios momentos de glória.

“Esta perspectiva otimista para as altcoins vem acompanhada de uma nota de advertência. O mercado criptográfico é conhecido pela sua imprevisibilidade, tornando imperativo que os investidores naveguem nestas águas com uma mistura de entusiasmo e prudência. Cada altcoin traz consigo o seu próprio conjunto de riscos e oportunidades, sublinhando a importância de uma investigação aprofundada e de um investimento estratégico”, afirmou.

Portanto, o preço do Bitcoin em 07 de março de 2024 é de R$ 331.631,26. Neste valor, R$ 1.000 compram 0,0030 BTC e R$ 1 compram 0,0000030 BTC.

As criptomoedas com maior alta no dia 07 de março de 2024, são: Fetch.ai (FET), SingularityNET (AGIX) e Render (RNDR),  com altas de 38%, 34% e 33% respectivamente.

Já as criptomoedas que estão registrando as maiores baixas no dia 07 de março de 2024, são: Bond (BONK), Pepe (PEPE) e dogwifhat (WIF)  com quedas de -17%, -16% e -15% respectivamente.

O que é Bitcoin?

O Bitcoin (BTC) é uma moeda digital, que é usada e distribuída eletronicamente. O Bitcoin é uma rede descentralizada peer-to-peer. Nenhuma pessoa ou instituição o controla.

O Bitcoin não pode ser impresso e sua quantidade é muito limitada – somente 21 milhões de Bitcoins podem ser criados. O Bitcoin foi apresentado pela primeira vez como um software de código aberto por um programador ou um grupo de programadores anônimos sob o codinome Satoshi Nakamoto, em 2009.

Houve muitos rumores sobre a identidade real do criador do BTC, entretanto, todas as pessoas mencionadas nesses rumores negaram publicamente ser Nakamoto.

O próprio Nakamoto afirmou ser um homem de 37 anos que vive no Japão. No entanto, por causa de seu inglês perfeito e seu software não ter sido desenvolvido em japonês, há dúvidas sobre essas informações. Por volta da metade de 2010, Nakamoto foi fazer outras coisas e deixou o Bitcoin nas mãos de alguns membros proeminentes da comunidade BTC.

Para muitas pessoas, a principal vantagem do Bitcoin é sua independência de governos mundiais, bancos e empresas. Nenhuma autoridade pode interferir nas transações do BTC, importar taxas de transação ou tirar dinheiro das pessoas. Além disso, o movimento Bitcoin é extremamente transparente – cada transação única é armazenada em um grande ledger (livro-razão) público e distribuído, chamado Blockchain.

Essencialmente, como o Bitcoin não é controlado como uma organização, ele dá aos usuários controle total sobre suas finanças. A rede Bitcoin compartilha de um ledger público chamado “corrente de blocos” (block – bloco, chain – corrente).

Se alguém tentar mudar apenas uma letra ou número em um bloco de transações, também afetará todos os blocos que virão a seguir. Devido ao fato de ser um livro público, um erro ou uma tentativa de fraude podem ser facilmente detectados e corrigidos por qualquer pessoa.

A carteira do usuário pode verificar a validade de cada transação. A assinatura de cada transação é protegida por assinaturas digitais correspondentes aos endereços de envio.

Devido ao processo de verificação e, dependendo da plataforma de negociação, pode levar alguns minutos para que uma transação BTC seja concluída. O protocolo Bitcoin foi projetado para que cada bloco leve cerca de 10 minutos para ser minerado.

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletidas nas posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar decisão.