A Meta, sétima empresa mais valiosa do mundo, admite que o hype que antes cercava o metaverso agora está concentrado no setor de inteligência artificial (IA). Dessa forma, parece que a empresa anteriormente conhecida como Facebook está se afastando do desenvolvimento de experiências para usuários individuais para adotar uma abordagem mais para empresas. 

Em uma recente publicação no blog da empresa intitulada “Game Changers: 3 Predictions for Technological Transformation in 2024 & Beyond” (Virando o jogo: 3 previsões para a transformação tecnológica em 2024 e além, em tradução livre, a Meta apresenta as suas “três principais previsões para as mudanças que veremos” à medida que o metaverso evolui.

Metaverso para empresas

A primeira previsão, de que os aplicativos empresariais e educacionais serão valorizados no metaverso, é o sinal mais evidente de que o foco da Meta está se voltando para a adoção empresarial.

A Meta diz que o hype do metaverso está “morto” e cita a IA como a nova bola da vez. Ela ressalta que o interesse do consumidor no setor está em alta e faz referência ao desempenho do aplicativo Quest na App Store da Apple após a temporada de férias. Mas, em última análise, destaca casos de uso comercial, como uma ferramenta de colaboração de desenho assistido por computador e várias ferramentas empresariais, como evidência da trajetória do metaverso em 2024 e além.

Inteligência artificial portátil

Os modelos de linguagem de grande porte (LLMs) integrados ocupam o segundo lugar entre os três principais agentes de mudança da Meta para o metaverso. Enquanto os sistemas de última geração, como o ChatGPT da OpenAI e o Claude da Anthropic, exigem conectividade com a nuvem para rodar os aplicativos do usuário final, os LLMs integrados podem funcionar inteiramente em dispositivos portáteis ou de mesa.

Com os LLMs integrados, a Meta espera combinar o hardware do metaverso com a realidade aumentada para criar um visor informativo para a vida cotidiana.

De acordo com a postagem no blog:

“Essa mudança já está começando a acontecer com a chegada da Meta AI nos óculos inteligentes Ray-Ban Meta e a introdução de recursos multimodais no Early Access. Os membros do programa Early Access podem fazer perguntas através do Meta AI, às vezes até mesmo mediadas pelo olhar, obtendo sugestões e informações com base no que veem.”

Mensagens comerciais

O terceiro item da lista da Meta dos principais agentes de mudança do metaverso são as ferramentas de mensagens comerciais. “As pessoas esperam interagir com as marcas e empresas que apoiam de maneiras diferentes e mais pessoais”, diz a postagem.

Embora a última década tenha visto o surgimento do paradigma enterprise-on-social, em que as marcas interagem com os consumidores nas redes sociais com o objetivo de gerar e manter o engajamento, é possível que vejamos um pouco disso começar a ser filtrado no metaverso à medida que as ferramentas de IA generativas e a busca incessante por monetização comecem a explorar a configuração do terreno no metaverso em expansão.

LEIA MAIS