Mineradora de Bitcoin, Hut 8, está fechando seu local de mineração em Drumheller, Alberta, Canadá, devido a interrupções de energia e custos crescentes de energia.

De acordo com o anúncio de 6 de março, a instalação de mineração de Drumheller da Hut 8, que minera aproximadamente 1,4% do Bitcoin da empresa (BTC) mas ao custo de cerca de 11% de sua taxa de hash, será fechada com efeito imediato.

“Após uma análise abrangente, determinamos que a lucratividade de Drumheller foi significativamente impactada por vários fatores, incluindo custos elevados de energia e problemas subjacentes de voltagem”, disse Asher Genoot, CEO da Hut 8, em uma declaração. Com efeito imediato, todos os mineradores de Bitcoin da empresa serão realocados para sua instalação em Medicine Hat, Alberta, Canadá. “A Hut 8 manterá seu contrato de locação no local e a opção de reenergizar o site se as condições de mercado melhorarem”, escreveu sua equipe.

Uma combinação de fatores, como altos custos de energia, ao lado de dificuldade de mineração recorde e o antecipado halving do Bitcoin, que reduzirá as recompensas de mineração em 50%, resultou em estagnação do setor. De acordo com dados compilados por Energyrates.ca, os preços da eletricidade por quilowatt-hora (kWh) aumentaram 1.000% em Alberta, Canadá, desde 2017. O governo provincial também restringiu novos projetos de mineração de criptomoedas devido a preocupações com seu uso de energia.

Nos primeiros nove meses de 2023, a receita da Hut 8 caiu 57% ano a ano para CA$ 55.184 (US$40.757), em grande parte devido à queda nos preços do Bitcoin na época. Em termos de taxa de hash, a Hut 8 atualmente representa 1,3% do poder de processamento total da rede Bitcoin.

Em 19 de janeiro, as ações da Hut 8 caíram mais de 23% em um único dia após alegações de vendedores a descoberto acusando o parceiro da empresa, USBTC, de problemas legais em um acordo de fusão de US$725 milhões. A Hut 8 desde então afirmou que o relatório “está cheio de imprecisões, dados deturpados, reivindicações especulativas e ataques de caráter infundados.” Em 8 de fevereiro, a ex-CEO da empresa, Jaime Leverton, renunciou.

VEJA MAIS: