A gestora multinacional americana de investimentos Franklin Templeton publicou uma nota para investidores sobre as memecoins que diz que, embora elas “não tenham valor ou utilidade inerente”, esses tokens podem potencialmente proporcionar lucros rápidos.

O boletim de 14 de março, intitulado “The Value Between Meme Coins and Their Native Networks” (O valor entre as memecoins e suas redes nativas, em tradução livre), observou que a performance das memecoins era “semelhante ao de um meme que se torna viral na Internet” e que elas ganharam popularidade devido à sua “natureza única.”

A empresa observou que as memecoins exigem pouco conhecimento técnico de potenciais investidores, têm taxas baixas em comparação com outras criptomoedas e têm potencial para gerar lucros rápidos, mas apresentam muita volatilidade de preço.

O Dogecoin (DOGE) foi a primeira e é a maior memecoin por capitalização de mercado, observou a nota, acrescentando que o DOGE inspirou a criação de muitas outras memecoins depois dele.

Fonte: Scott Melker on X

O DOGE, que há muito tempo vem sendo elogiado pelo chefe da Tesla, Elon Musk, é a décima maior criptomoeda por capitalização de mercado, com US$ 26 bilhões.

O token com tema de cachorro Shiba-Inu subiu 14% nas últimas horas, chegando a US$ 0,189, depois que Musk comentou que “em algum momento” a Tesla deverá aceitar pagamentos em DOGE no futuro.

A Franklin Templeton continuou afirmando que acredita que as memecoins “têm um forte relacionamento com suas redes nativas”, citando o frenesi em torno do token BONK, baseado na Solana, em 2023.

O BONK, a primeira memecoin relacionada a cães da Solana, disparou mais de 5.700% no ano passado.

Em fevereiro, a fintech europeia Revolut lançou uma “Campanha Aprenda e Ganhe” relacionada a memecoins. A atenção gerada pela Revolut fez com que o BONK atingisse um novo recorde histórico no início de março.

A capitalização de mercado total de todas as memecoins é de US$ 65,5 bilhões, cerca de 2,25% de todo o mercado de criptomoedas, de acordo com dados da CoinGecko.

A Franklin Templeton está entre as empresas que têm solicitações pendentes de resposta sobre o lançamento de fundos negociados em bolsa (ETF) de Ether (ETH) à vista nos Estados Unidos.

O ETF de Bitcoin (BTC) da empresa que possui um trilhão de dólares em ativos sob gestão, o Franklin Bitcoin ETF (EZBC), está atrás de seus rivais em termos de aportes de capital, tendo acumulado apenas US$ 167 milhões até o momento. Trata-se de somente 1,4% do total de Bitcoin sob gestão dos nove fundos recém-lançados, de acordo com dados da Farside Investors.

LEIA MAIS