Economia digital e regulamentação da inteligência artificial (IA) voltaram a ser o centro das atenções esta semana, durante o Diálogo Bilateral União Europeia-Brasil sobre Economia Digital, evento que aconteceu no Ministério das Relações Exteriores (MRE), em Brasília (DF).

Divulgação: Ascom/ANPD

O evento contou com a presença de servidores da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), representados pela diretora Miriam Wimmer e pela coordenadora geral de Relações Internacionais e Institucionais, Juliana Muller.

Na terça-feira (19), Miriam participou do workshop sobre regulamentação da inteligência artificial. Ocasião em que a diretora contextualizou o histórico da discussão sobre a regulamentação da inteligência artificial no Brasil e falou sobre o papel da ANPD.

 “Especialmente no que tange à Inteligência Artificial, há um campo fértil para compartilhamento de percepções, visto que a União Europeia [UE] acaba de aprovar o AI Act, cuja discussão tem também influenciado os debates no Congresso brasileiro, declarou.

Na quarta-feira (20), Juliana falou sobre a regulamentação das transferências internacionais no Brasil e sobre o andamento das negociações do acordo mútuo de reconhecimento de adequação.

“A partir da aprovação do regulamento, passaremos a trabalhar na avaliação do lado Europeu”, afirmou.

Além de representantes brasileiros, o evento contou com participantes europeus envolvidos na elaboração e implementação das regulamentações da União Europeia sobre serviços digitais (Digital Services Act, DSA), mercados digitais (Digital Markets Act, DMA) e inteligência artificial (AI Act).

Há alguns dias, o presidente Lula disse que o país vai apresentar uma iniciativa de IA na ONU, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil.