Uma métrica do Bitcoin indica que ainda há um “longo caminho a percorrer” antes que o BTC atinja seu pico cíclico, conforme o cofundador e executivo-chefe da plataforma de análise CryptoQuant.

Ki Young Ju observa que 63% do limite realizado do Bitcoin não mudou há mais de seis meses.O limite realizado é uma métrica on-chain que tenta fornecer uma estimativa melhor da capitalização de mercado do principal ativo criptográfico, eliminando no cálculo moedas há muito perdidas e não reclamadas.

Na mesma métrica, os topos dos ciclos anteriores em 2021, 2018 e 2014 registaram 15%, 5% e 5% respectivamente, segundo o CEO. Young Ju também observa que o Bitcoin tem atualmente o triplo da taxa de hash de quando estava na mesma faixa de preço em 2021.

A taxa de hash mede o poder de processamento da rede Bitcoin como a velocidade com que um minerador conclui uma operação. Uma taxa de hash mais alta indica uma rede mais forte e melhor segurança.

Gráfico indica possível alta no Bitcoin

Além disso, o CEO aponta que 18.000 BTC foram recentemente transferidos da Coinbase, principal exchange de criptomoedas dos EUA, para vários endereços não-exchange, que provavelmente eram carteiras de custódia, indicando, segundo ele, que o ciclo de alta do Bitcoin ainda nem começou e deve ser ainda maior após o halving se a demanda se manter nos níveis atuais.

Menos Bitcoin nas exchanges

5 melhores altcoins com chances de alta de 50% 

Seguindo a tendência de alta do Bitcoin, o analista da Bitget, Fernando Pereira, separou as cinco altcoins mais promissoras para o mercado cripto de 2024. Confira:

1 – AAVE: O mais famoso “banco descentralizado” do mundo tem tudo para bombar em 2024. A AAVE é um protocolo de finanças descentalizadas que funciona dentro da rede da ethereum e permite que os usuários façam empréstimos uns aos outros, sem o uso de um intermediário.

2 – XRP: Apesar de ser odiada por grande parte dos usuários, a Ripple pode ser usada como uma frequência nunca antes vista em 2024. A Ripple é uma solução de pagamentos muito utilizada por bancos e grandes empresas, e com a adoção as criptomoedas por parte dessas instituições, a Ripple pode ganhar muito valor de mercado.

3 – BGB: O token nativo da Bitget que mais cresceu em 2023 ainda é extremamente desvalorizado e tem um futuro promissor pela frente. Com uma capitalização de mercado de menos de 1 bilhão de dólares, a BGB tem muito espaço para subir em 2024 assim como aconteceu em 2023, quando o token atingiu sua máxima histórica 7x no mesmo ano!

4 – SOL: Após ser a blockchain escolhida pelas gigantes Visa e Shopify, as buscas por Solana no google dispararam 250% junto com a valorização do token SOL. A Solana é hoje a principal concorrente da Ethereum. Uma rede menos segura, de fato (foi hackeada algumas vezes), porém muito mais rápida e barata, a Solana cresceu muito em 2023 e promete crescer ainda mais em 2024. Em 2023 vimos uma rede que evoluiu bastante em segurança, e se continuar melhorando esse aspecto pode até desbancar a gigante Ethereum em breve.

5 – LINKO “oráculo”, como é chamada a rede da Chainlink, é uma rede que liga informações do mundo real as blockchains, facilitando o uso de smart contracts por empresas. Esse tipo de solução cresce junto com o mercado e é uma ótima aposta para o próximo ciclo de alta.

Aviso: Esta não é uma recomendação de investimento e as opiniões e informações contidas neste texto não necessariamente refletem as posições do Cointelegraph Brasil. Cada investimento deve ser acompanhado de uma pesquisa e o investidor deve se informar antes de tomar uma decisão.