A China já é uma ameaça para o mangá

fevereiro 18, 2024

A Yahoo! News Japan dá conta da crescente ameaça da China à indústria do mangá no Japão.

O mundo do entretenimento está em constante evolução e, no domínio dos mangás, a China está a emergir como um concorrente formidável do Japão. O aplicativo Manhua “Kuaikan Comics” alcançou um rápido crescimento ao distribuir mangá produzido localmente, desafiando assim o domínio tradicionalmente inquebrável do mangá japonês. Esta ascensão meteórica levanta a questão: o status que o mangá japonês mantém há anos está em perigo?

Fundada por Anni Chen, figura icónica da geração chinesa pós-anos 90, a história da Kuaikan Comics é um verdadeiro conto de fadas moderno. Criada numa família modesta, Chen iniciou a sua jornada empreendedora com um tablet emprestado e uma determinação inabalável. Apesar dos desafios financeiros e da falta de experiência técnica, Chen conseguiu lançar o aplicativo em 2014, e este teve um crescimento fenomenal desde então.

O que diferencia a Kuaikan Comics é a sua abordagem inovadora para entregar de conteúdo. Além dos tradicionais webtoons, o aplicativo oferece minianimações que complementam as histórias, atraindo os mais diversos públicos, principalmente a geração que prefere consumir conteúdo nos seus smartphones de forma confortável. Além disso, a inclusão de recursos de transmissão ao vivo permitiu uma maior interação entre criadores e fãs, fortalecendo assim a comunidade em torno do aplicativo.

Este sucesso não passou despercebido aos investidores, com a empresa a angariar mais de 200 milhões de dólares em financiamento em 2021, acelerando a sua expansão internacional. Além disso, a Kuaikan Comics concentrou-se na melhoria dos benefícios sociais para os autores, como seguros de saúde e exames de saúde, o que ajudou a atrair talentos e a promover uma cultura de criatividade.

O rápido desenvolvimento do “mangá” chinês representa um desafio significativo para o mangá japonês, que mantém uma posição dominante na indústria há décadas. Com uma população de 1,4 mil milhões de habitantes, a China tem um vasto reservatório de talentos criativos e uma base de utilizadores potencialmente enorme. Além disso, a melhoria na qualidade dos webtoons chineses e o desenvolvimento acelerado da tecnologia de geração de imagens utilizando IA podem impulsionar ainda mais o crescimento desta indústria.

Tatsuya Asano, autor japonês que se mudou para a China, comentou sobre a concorrência:

Os japoneses acham que os mangás japoneses são os mais interessantes do mundo, mas a melhoria na qualidade dos webtoons chineses é notável. Tendo esta evolução em mente, é possível que o próximo “One Piece” da era digital não nasça no Japão, mas sim no estrangeiro.

A ascensão dos “mangá” chineses representa uma ameaça real ao status que o mangá japonês manteve por tanto tempo. Com a sua abordagem inovadora, crescimento exponencial e compromisso com a melhoria contínua, a China demonstra que está pronta para competir no palco do entretenimento global.

In this post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *